Síndrome da Fome Oculta

1- O que é?

Manter uma dieta balanceada é o primeiro mandamento para uma vida saudável, porém mesmo quem procura variar o cardápio pode — sem perceber — apresentar uma carência de um ou mais nutrientes o organismo. Definido pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como Fome Oculta , o problema chega a afetar uma em cada quatro pessoas em todo o planeta e pode aumentar o risco de desenvolvimento de doenças como câncer, osteoporose, diabetes e até o aumento de problemas cardiovasculares.

2- Mal Silencioso?

A fome oculta é um problema silencioso e que na maioria das vezes só é possível sentir os efeitos da carência de vitaminas e minerais quando problemas mais graves já se instalaram. É preciso estar atento aos sinais subclínicos como falta de apetite, sonolência, apatia, fraqueza e alterações de comportamento como irritabilidade e depressão. A baixa imunidade também entra na lista de sinais de que seu corpo anda precisando de algo a mais.

3- Quem pode ter?

A lista de pessoas que estão propensas às carências nutricionais é extensa! como crianças em fase de crescimento, adolescentes, gestantes, lactantes e idosos. E também os que são definidos pelo estilo de vida como os tabagistas, consumidores de álcool, esportistas, pessoas em dieta para emagrecimento, submetidas ao estresse e com hábitos alimentares inadequados.

4- Visite um médico

Se você soma os fatores, alimentação desequilibrada e alguns dos sintomas descritos vale, a pena consultar um médico. O desequilíbrio pode ser detectado por exames bioquímicos, entre eles os mais comuns são os de sangue como o hemograma e os que revelam as dosagens específicas de alguns nutrientes.

5- Na balança

A fome oculta também pode trazer incômodos quando o assunto são os indesejáveis quilos a mais. O cérebro desempenha um importante papel na regulação do equilíbrio energético e o realiza principalmente através de três ações fisiológicas: controle da fome e da saciedade, controle do consumo de energia e regulação da produção de hormônios envolvidos na formação das reservas energéticas. Assim, quando alguma deficiência de nutrientes está presente, o nosso organismo entende isso como um desequilíbrio e sinaliza para o cérebro aumentando nosso apetite na tentativa de ingerirmos os nutrientes deficientes e muitas vezes nessa situação optamos por alimentos ricos em açúcares e gorduras e pobres em nutrientes, dificultando assim a perda de peso.

VEJA  A gordura certa para ativar o metabolismo

6- Suplementação como aliada

Os suplementos alimentares podem auxiliar no combate e na prevenção da síndrome. Com orientação profissional, quem não obtém da dieta os nutrientes necessários pode lançar mão de diferentes produtos que sejam fontes de vitaminas e minerais.

Para quem já possui o problema, a suplementação vai depender do nutriente que está escasso no organismo. Os suplementos recomendados variam de acordo com a deficiência nutricional que a fome oculta está causando.

7- Como previnir

Os alimentos devem ser consumidos de forma balanceada, sem exageros ou escassez. A variedade deve ser a grande inimiga da Fome Oculta. Uma boa dica é fazer sempre pratos bem coloridos. As vitaminas é que dão cor aos alimentos, por isso um prato colorido normalmente também é mais nutritivo.

Fonte: Texto adaptado da Revista Suplementação – Ano 01 – Edição 06.

(Visitado 217 vezes, 1 visitas hoje)