Nutricosméticos, Ciência a serviço da pele!

Nutricosméticos

Ciência a serviço da pele: como esses produtos atuam “de dentro para fora”?

Os primeiros Nutricosméticos, também conhecidos como “pílulas da beleza”, surgiram no Brasil no início da década de 90 quando eram, basicamente, substâncias preparadas à base de colágeno – proteína fundamental para a saúde da nossa pele. Hoje os nutracêuticos, como também são conhecidos, tornam-se cada vez mais populares entre aqueles que desejam manter, não apenas o corpo, mas a aparência saudável e mais cheia de vida.

“O conceito básico do termo nutricosmético vem da diferença de sua aplicação, de uso oral ao invés de tópica (ou externa), em nosso corpo”, explica a Farmacêutica e consultora técnica da Biotec Dermocosméticos, Mika Yamaguchi. Segundo ela, os mais procurados são os que estimulam a firmeza da pele, cabelos e unhas. “A Biotec trabalha com produtos como o Exsynutriment, o Bio-Arct e o Glycoxil (ver funções específicas no box), que podem ser apresentados na forma de gomas, cápsulas, shakes e até iogurtes”, diz.

Os nutricosméticos são ricos em vitaminas, minerais, flavonóides, aminoácidos, óleos essenciais, proteínas e substâncias antioxidantes. Os principais componentes dessa classe de produtos são o betacaroteno, vitaminas E e C, ômega 3, entre outros. Além de nutrir o organismo, as “pílulas da beleza” combatem os radicais livres, grandes vilões responsáveis por acelerar o envelhecimento da pele. “Quando alguém utiliza esses produtos, não só está retardando o surgimento de rugas, flacidez e manchas, como também revertendo aquelas que já apareceram em sua pele”, opina a Nutricionista e Consultora em Personal Diet do Instituto de Metabolismo e Nutrição (IMeN), Anna Castilho.

A comerciante Márcia Aparecida de Moraes, de 45 anos, afirma que consome nutricosméticos há três anos e acredita que eles sejam necessários, não só pelas questões estéticas. “Dificilmente as pessoas conseguem, atualmente, repor as substâncias necessárias para manter a sua pele e o seu organismo em perfeita harmonia. As pílulas nutricionais me ajudam a me sentir mais forte, mais cheia de vida”, completa.
 
Porém, a recomendação é procurar não só um nutricionista, mas um dermatologista antes de pensar em consumir as “pílulas da beleza”. Segundo a Dra. Cristiane Braga, professora da pós-graduação em dermatologia pela Fundação Pele Saudável, a necessidade de utilização destes produtos varia muito entre cada indivíduo. “Pessoas que praticam atividade física e esportiva regularmente, por exemplo, consomem mais nutrientes e, por isso, uma avaliação médica e dermatológica pode diagnosticar quais são os nutricosméticos mais recomendados para reposição desses nutrientes”, revela.

VEJA  Chips de banana light: petisco perfeito para a dieta

Ela também explica, de maneira simples, a diferença entre as pílulas e os protetores solares tradicionais, na hora de defender a nossa pele do sol. “Os filtros solares externos podem ser químicos – ajudando na absorção da radiação ultravioleta, ou físicos – criando uma barreira contra os raios solares. No caso dos nutricosméticos, a atuação das substâncias no interior do organismo aumenta a tolerabilidade da pele à exposição desses raios ultravioleta”. Mas, não é só em dias de sol e calor que os nutricosméticos mostram-se eficazes.

No período do inverno, os produtos mais recomendados são os que contenham substâncias que auxiliam na hidratação da pele, como o Innéov Fermeté, das empresas Nestlé e L´Oreal. (ver Box).

Mesmo importantes para a reposição de substâncias e manutenção de uma pele mais viva, os nutricosméticos não são “milagrosos” e devem fazer parte de um estilo de vida saudável, com alimentação equilibrada, prática de exercício físico regular e trabalho moderado. “Não há nenhuma contra-indicação ao uso de nutracêuticos, desde que a pessoa tenha disciplina de tomar apenas a quantidade prescrita e recomendada. Como qualquer outro complemento, deve ser tomado sob orientação, pois algumas vitaminas em excesso podem fazer mal e a dose certa é fundamental para que o sonho da beleza não se torne um pesadelo”, orienta a nutricionista Anna Castilho.

(Visitado 170 vezes, 1 visitas hoje)